Entrevista com Vinícius Thadeu, autor do livro "O Garoto", publicado pela Editora Multifoco

  • Blog do Argonauta: - Olá! Vinícius, tudo bem?
  • Vinícius: - Tudo bem, graças a Deus, e você?
  • Blog do Argonauta: - Tudo bem também. Bom, li seu livro, “O garoto”, e tive muitas boas impressões. Conta para o leitor que ainda não conheceu "O garoto" um pouco dessa história.
  • Vinícius: - Bem, O Garoto é uma "primeira obra", por isso, acredito que contenha alguns fatores que ainda precisam ser evoluídos. Mas no todo, é um trabalho que foi bastante dilapidado e analisado. Basicamente é uma história que concentra grande teor de drama e prosa poética, com muitas metáforas e adjetivos para enfunar toda a estrutura da linguagem. O ápice e a beleza estão no entendimento de escolhas e o proeminente julgamento que as pessoas farão ao comportamento dos personagens principais.
  • Blog do Argonauta: - Logo no começo da história, ao se descrever o aniversário de cinco anos de Jimmi, fiquei intrigado com a desenvoltura do garoto, ainda garotinho, numa conversa com aquela garotinha da mesma idade. Foi deslumbrante ao imaginar a cena. Os tempos distintos mostram as diversas versões desse garoto, por assim dizer, numa transformação emocional a medida que as coisas acontecem.
  • Aos poucos o livro foi conquistando um espaço na curiosidade e na simpatia pelos personagens principais, pois cada um tem sua luta sendo travada em meio a trama central da história.
  • Agora. Sobre o autor, sobre você. Como você descobriu essa veia literária tão poética e rica em paisagem e detalhes?
  • Vinícius: - A veia literária vem de um grande desejo pela criação de cenários e composições de personagens, e harmonizar tudo dentro de uma trama. Este era um desejo constante. Quanto a outros detalhes de "ilustração", vem de influências clássicas da literatura nacional.
  • Hoje, parece que a pressa do cotidiano se inoculou pelas obras, e tudo é descrito com grande velocidade e subsequência rápida de acontecimentos, com descrições e vocábulos simples, normalmente retratando personagens mornos e que se aferem bem ao perfil "contemporâneo".
  • Ao ler José de Alencar, Machado de Assis, Ledo Ivo, entre outros, descobri que não era ser Steve Berry ou Dan Brown que eu queria, mas sim, criar vida nas palavras.
  • Blog do Argonauta: - Entendo. Sua descrição da serra gaúcha, Caxias do Sul e os palavreados típicos da região, deram uma singularizada peculiar gerando uma ótima visão das pessoas e da cidade, mas confesso muitas me eram desconhecidas, ainda mais por não conhecer tanto a cultura sulina. Um conhecimento bem construído e detalhado de paisagens que chega a nos transportar e sentir a friagem do Sul a soprar suave sobre a pele, muito bom.
  • Vinícius: - bem, a verdade é que durante um tempo, tive grande admiração por essa região. Pois me representa uma cultura peculiar do Brasil, não estando relacionada a multidões, gostos populares etc. Me parece ser um aspecto bastante europeu, e isso me prendeu a atenção, contudo, acredito que o prazer por recantos naturais e faunas está expressado na linguagem do autor, que é típico de mim mesmo. E a Serra Gaúcha é uma riqueza paradisíaca e natural inimagináveis com tantas espécies nativas e exóticas, tanto na fauna como na flora. E foi a terra perfeita para toda a narrativa.
  • Foram com grandes pesquisas e detalhes. Não somente características endêmicas, mas também no vocabulário, como você disse, é um linguajar bastante genuíno daquela região, que também tive conhecimento à base de pesquisas. Acredito que caracterizou a obra de forma bastante original.
  • Blog do Argonauta: - Seu livro é de uma prosa refinada e consegue descrever sentimentos com simplicidade e beleza, a trama tem reviravoltas e isso a torna mais interessante a cada página. Parabéns pela bela obra literária.
  • Agora sobre o desafio de publicar o primeiro livro, que dica ou conselho, você deixa para escritores que anseiam o mesmo sonho, o de publicar o primeiro livro?
  • Vinícius: - Primeiramente terem propósito e objetivos, isso ajudará a definir um estilo próprio. Em segundo lugar, não colocar as ambições financeiras à frente do desejo de desempenhar um trabalho impactante. Pois o Brasil apresenta grandes talentos, mas escassas oportunidades. Por isso, não se pode ter grandes anseios ou ambições de início, mas seguir como se tivesse uma escada a subir, degrau por degrau, sem pulos, caso contrário, o tombo é eminente.
  • Blog do Argonauta: Sem dúvida, muito verdadeiras essas questões, empenho e paixão pelo trabalho deve vir mesmo antes do desejo de ficar rico com isso rsrs. Vinicius, foi muito bacana poder entrevistar você e saber um pouco mais sobre o seu livro.
  • Vinícius: - Igualmente. É um grande prazer ver o interesse despertar nas pessoas.
  • Blog do Argonauta: - Deixe pra gente, links onde podemos encontrar o seu livro, contatos nas redes sociais, pra gente ficar por dentro das novidades literárias que com certeza virão.
  • Vinícius: - Claro. Abraços e espero que tenha gostado de O Garoto.
  • Blog do Argonauta: - Sem dúvida. Gostei muito. E recomendo a todos que apreciam a leitura de um bom romance, cheio de poesia e belas paisagens, ainda com uma trama emocionante e personagens cativantes.
  • Essa foi a entrevista com Vinícius Thadeu, autor do livro “O Garoto”. Saiba mais sobre o autor, suas obras e novidades através dos links abaixo:
  • Email: - viniciusts25@gmail.com
  • Caso alguém tenha interesse de conhecer melhor O GAROTO ou acompanhar mais de perto as obras do autor; é só contatá-lo que o mesmo pode disponibilizar algumas obras gratuitamente, somente com o objetivo de que conheçam o seu trabalho.